• Admin

O impacto do primeiro contato – Parte 2

Por Renato Morandi


Uma Casa Muito Especial - Sentir


Paul Ware identificou quatro preferências na forma com que os seres humanos iniciam o estabelecimento de contato ente si. Rosemary Napper em uma capacitação de Coaching para Coaches criou a metáfora das CASAS ESPECIAIS onde cada DONO tem uma forma preferida de iniciar o contato com outros.


Uma outra CASA ESPECIAL, tem alguma similaridade com a primeira, apresentada no volume anterior.


Este DONO tem uma casa muito particular: é confortável nos menores detalhes, com muitas cores ou itens que tornam o ambiente gostoso de estar, é um artista em receber os outros e agradá-los, na sua porta tem uma placa que diz "bem-vindo" e sua campainha tem um som gostoso e melodioso. Desta forma ele recebe muitos elogios de quem o visita. No entanto, ao bater na porta dele é importante respeitar o som da campainha, de outra forma ele poderá ficar receoso de abrir a porta para ver quem está lá. Uma vez que você toca de forma certa a campainha, o som o convida a abrir a porta e conversar com você. Talvez, ainda na porta, os assuntos passem por temas de saúde, bem-estar, questões pessoais, uma efusão de sentimentos. Se a conversa evoluir algum tempo nestes temas, então, ele lhe convidará para entrar e sentar na sala. Lá existirá um ambiente tranquilo e calmo onde poderá se pensar sobre muitas coisas, reflexões intensas e insights consistentes poderão acontecer. Neste momento a proximidade pode lhe convidar a tecer comentários sobre como ele se comportou ou como ele deverá se comportar numa determinada situação, afinal a conversa já está animada e presume-se que exista espaço para isso. Grande engano, esse tipo de assunto está reservado para o quarto de dormir, onde você não foi sequer convidado a conhecer e, neste momento, você poderá ter sua visita abreviada ou mesmo jogado para fora da casa. Não entenda isso como grosseria do seu anfitrião ou como resistência a enxergar o que você vê, e sim, como uma invasão sua numa parte muito íntima da casa, o que afinal pode ser interpretado pelo seu anfitrião como falta de respeito.


Você é dono ou conhece alguém que tem uma casa como esta?


Nesta casa especial você só entra se perceber nos primeiros minutos como agir e, depois que entrar, for sensível aos temas reservados.


Não é uma casa nem melhor, nem pior que outras três (pensar, fazer, não fazer), é uma casa distinta, onde agora que você a conhece poderá observar e encontrar formas de lidar com seu DONO.


Experimente tomar uma Ação em suas relações com os DONOS desta casa especial!


Se este texto lhe deu algum insight convido você a compartilhá-lo, deixe seu comentário!